terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Causas do acúmulo de gordura no fígado


A principal causa do acúmulo de gordura no fígado é o consumo exagerado de alimentos ricos em gordura e açúcar associado ao sedentarismo, que é falta de atividade física e por isso esta é uma condição comum em pessoas obesas ou acima do peso. No entanto, a esteatose hepática, também pode ser causada por outros fatores como:

*Jejum prolongado;
*Desnutrição causada pela falta de proteínas na alimentação;
*Resistência à insulina;
*Diabetes tipo 2;
*Consumo excessivo de álcool;
*Colesterol ou triglicerídeos elevados;
*Hepatite C crônica;
*Doença de Wilson, doença rara que se manifesta na infância.

O acúmulo de gordura no fígado também pode ser provocado por situações de pós-operatório de cirurgia de derivação jejunal e pelo uso de medicamentos como Betametasona, Ciclesonida; Glicocorticoides; Estrogênios, Tamoxifeno ou Amiodarona, por exemplo.

Geralmente a esteatose hepática não gera sintomas sendo descoberta num exame de rotina, mas é importante que ela seja tratada adequadamente para evitar suas complicações.

Complicações do acúmulo de gordura no fígado
As complicações do acúmulo de gordura no fígado dependem do estilo de vida do paciente e dos fatores associados, como diabetes, obesidade ou doenças imunes. Mas, geralmente, acontece uma inflamação progressiva do fígado que pode levar ao surgimento de doenças graves, como cirrose hepática.

Para evitar as consequências do acúmulo de gordura no fígado é recomendado que o indivíduo faça uma dieta rica em frutas e vegetais, evitando comer alimentos com muita gordura e açúcar. Além disso, deve também fazer exercício físico regular, pelo menos de 30 minutos por dia.

por Dr. Arthur Frazão - Clínico geral
Atenção: O Saúde Canal da Vida é um espaço de informação, divulgação e educação sobre assuntos relacionados a saúde, não utilize as informações como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento sem antes consultar um profissional de saúde. Este site não produz e não tem fins lucrativos sobre qualquer uma das informações nele publicadas, funcionando apenas como mecanismo automático que "ecoa" notícias já existentes. Não nos responsabilizamos por qualquer texto aqui veiculado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário